Nova Olinda (CE): Fundação Casa Grande recebe mais um prêmio nacional

Yasmim Pereira, de 9 anos, e Fabiana Barbosa, do Núcleo
de Elaboração de Projetos da Fundação, participam
da cerimônia de premiação, no Rio de Janeiro
A Fundação Casa Grande é vencedora da primeira edição do Prêmio Nacional de Projetos com Participação Infantil. A entidade, com sede em Nova Olinda, foi eleita por um júri de especialistas em educação e na área da infância e concorreu com mais 85 projetos inscritos de todo o Brasil. A organização não governamental ficou entre os seis finalistas e foi a única no Nordeste a ser agraciada. A premiação aconteceu no Rio de Janeiro no último dia 5. Um júri formado por crianças também reconheceu a entidade com Menção Honrosa.

Numa cerimônia que chegou a emocionar os participantes, foram apresentados vídeos produzidos nas seis entidades finalistas, com depoimentos dos seus participantes. As próprias crianças, antes mesmo do reconhecimento com menção honrosa, participaram de atividades em que foi contada a história de cada instituição.

O Centro de Criação de Imagem Popular (Cecip), realizador do evento, foi criado em 1986. Nomes de diversas áreas como o educador Paulo Freire, Ennio Candotti, Eduardo Coutinho, Ana Maria Machado, Washington Novaes e Claudius Ceccon, atual diretor executivo, decidiram dispor dos seus saberes e experiências a serviço do centro, que se colocou com uma proposta de construção de uma sociedade democrática.

As atividades inserem a produção de materiais audiovisuais e impressos, a realização de projetos de articulação e mobilização social e a capacitação de educadores e outros agentes sociais para atuarem na transformação de suas realidades. A Escola de Comunicação da Meninada do Sertão, da Casa Grande, onde está abrigado também o Memorial do Homem Kariri, foi o grande foco dessa avaliação, com o trabalho educativo nesse segmento que vem sendo transferido para as crianças e adolescentes, com diversos equipamentos disponibilizados para o desenvolvimento do aprendizado desses jovens.

Comemoração
Em dezembro deste ano, a fundação fará 22 anos. Nos últimos dois anos, mais que duplicou o público atendido, que é de mais de 60 mil pessoas do Brasil e Exterior. São mais de 40 crianças e adolescentes inseridos no projeto educativo, que atua nas áreas da história e arqueologia regional, além da preservação do patrimônio, e no campo vasto da comunicação. A instituição conta com o memorial, gibiteca, biblioteca com literatura infantil, e outra voltada para pesquisas. Além disso, uma DVDteca, laboratório de arqueologia, teatro, rádio comunitária e a TV. Vídeos com abordagens voltadas para o patrimônio da cultura regional, além de personalidades, são produzidos pela garotada da entidade.

Foi criado um laboratório de esporte, no Parque Ambiental dos Cajueiros, também projeto da Fundação, com o incentivo ao setor. A Casa Grande passou a gerenciar o espaço que tem os dois mais antigos cajueiros da cidade, em regime de comodato com a prefeitura local.

Para a integrante do Conselho Científico e do Núcleo de Elaboração de Projetos da Fundação, Fabiana Barbosa, esse é um grande momento da fundação, com o reconhecimento do trabalho desenvolvido na instituição, que acabou sendo avaliada nos seus diversos aspectos.

Ela esteve em Ipanema, no Rio de Janeiro, para receber a premiação, juntamente com Yasmim Pereira, de 9 anos, que fez a primeira visita à Casa Grande logo no segundo dia do seu nascimento, levada pela mãe. Ela destaca o momento como emocionante e a importância da entidade em sua vida, como lugar de aprendizado.

Prêmio
Com o reconhecimento, a instituição recebe também o valor de R$ 10,5 mil e a menção honrosa, premiada pelo trabalho de formação de crianças e adolescentes em gestão cultural, promovendo vivências nos laboratórios de conteúdo e de produção.

A gestão participativa e inclusiva das crianças e adolescentes foi um dos destaques mencionados, já que são eles os próprios aprendizes que também reproduzem o conhecimento e são protagonistas do processo de multiplicação do conhecimento.

O presidente da Fundação Casa Grande, Alemberg Quindins, destaca o esforço coletivo dos integrantes da fundação para a conquista da premiação nacional. "Foram eles que se inscreveram e ficaram a par de tudo", conta Alemberg. Para Fabiana, esse reconhecimento vem confirmar o resultado de um trabalho realizado desde 1992, que tem como foco a participação das crianças.

O Centro de Criação enfatiza o processo de construção coletiva da Casa Grande, com a integração que guiou suas atividades, inserindo as crianças e adolescentes no protagonismo das ações de gestão.

No espaço, há a formação de pequenos desenhistas, fotógrafos, produtores, radialistas, cinegrafistas, leitores e conhecedores das mídias digitais. O segundo lugar ficou com o projeto "Escola de Ser", do Centro de Orientação em Educação e Saúde (CORES), de Rio Verde (GO), e o terceiro, com a "+ Criança na Rio +20", da Fundação Xuxa Meneghel, do Rio de Janeiro.

Mais informações
Fundação Casa Grande
Avenida Jeremias Pereira, 444
Nova Olinda - CE
Telefone: (88) 3546.1333
Escritório - Crato - (88) 3521.8133

ELIZÂNGELA SANTOS
REPÓRTER

Fonte: Diário do Nordeste



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Addthis