Neto de Abdelmassih afirma esperar que o avô 'apodreça na cadeia'

Um neto do ex-médico Roger Abdelmassih, condenado a 278 anos de prisão pelo estupro de 37 mulheres, chamou-o de "um bosta", afirmou que Abdelmassih "só pensa nele" e disse desejar que o avô, de 70 anos, "apodreça na cadeia por tudo o que ele fez". As frases foram ditas numa rede social.

Por respeito ao ECA (Estatuto da Criança e do Adolescente), a Folha não publica o nome do neto, menor de idade. Sua família não respondeu aos pedidos de entrevista feitos por e-mail e recado na caixa postal do celular.

As afirmações foram feitas na quarta (20) na rede social Ask.Me, em que anônimos fazem perguntas e o dono do perfil responde.

Um internauta perguntou: "tu é parente dql medico roger abdelmassih?" [Tu és parente daquele médico, Roger Abdelmassih?].

O neto respondeu, usando abreviações típicas de internet: "eu so [sou] sim o fdp [filho da puta]! e essa eh [é] a ultima pergunta q [que] eu respondo dele suave [tranquilo]? presta bem atenção, ele eh meu vo [avô] sim ele fez merda sim! ele deixou agent [a gente] na bosta sim! agent pago td [pagou tudo] ELE tinha pra paga sim!".

O jovem continuou: "to mal? to sim, um pouco! ele foi uma grande bosta, fudeu meu pai inteiro, e mano obrigado ai pelas pessoas q foram fala cmg [comigo] e se preucuparam [preocuparam] cmg! valeu mesmo e se o q eu acho disso? hahahah, acho q ele eh [é] um bosta q so [só] pensa nele, e eu quero q ele apodreca na cadeia por td [tudo] [o] q [que] ele fez".

A frase havia sido "curtida" por 40 pessoas até as 19h30 da sexta (22). Outras atualizações do mesmo dia tinham menos de dez "curtidas". No perfil, ativo e atualizado mais de dez vezes por dia, o neto descreve seu cotidiano. Não há nenhuma outra menção ao avô na rede social, que ele começou a usar sete meses atrás.

Família
Roger Abdelmassih tem dois filhos adotivos que trabalhavam com ele na clínica de reprodução: o médico Vicente Abdelmassih e a bióloga Soraya Abdelmassih.

Ambos declararam em entrevistas que romperam relações com o ex-médico.

Vicente continua trabalhando com reprodução assistida, em outra clínica.

O ex-médico tem ainda dois filhos gêmeos de três anos, que viviam com ele no Paraguai, onde foi capturado na tarde desta terça (19) após mais de três anos foragido.

Não se sabe onde estão as crianças e a mãe delas, a mulher do ex-médico, Larissa Sacco. Testemunhas dizem que Larissa deixou o Paraguai no início da madrugada de quarta-feira (20), por volta da 1h, saindo por Ciudad del Este, rumo ao Brasil.

Vigilância
A Interpol emitiu nesta quinta-feira (21) um alerta para que autoridades dos países ligados à rede investiguem o paradeiro de Larissa.

Não há ordem de prisão contra Larissa, apenas um pedido das autoridades brasileiras para que ela seja monitorada pela polícia em qualquer país em que possa estar.

Fonte: Folha.com



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Addthis