Ministra diz que prótese dentária para agricultora faz parte de 'ação de rotina'

Dona Nalvinha, 43, que diz ter recebido uma prótese dentária
'do pessoal da Dilma' (Foto:João Pedro Pitombo/Folhapress)
A prótese dentária recebida pela agricultora Marinalva Gomes Filha, 43, a dona Nalvina, faz parte de "uma ação de rotina" do Ministério Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza.

A afirmação é da ministra titular da pasta, Tereza Campello, que disse ainda, em entrevista à Folha neste sábado (23), que é praxe no governo federal o encaminhamento dos problemas identificados pelas equipes técnicas do ministério.

Moradora de Paulo Afonso, no norte da Bahia, dona Nalvinha recebeu a prótese na véspera de gravar com a presidente Dilma Rousseff (PT) uma peça de TV para o horário eleitoral petista. Segundo a prefeitura da cidade, o governo federal pediu antes das filmagens para a administração municipal providenciar a dentadura.

"É uma prática nossa. Qualquer situação que a gente identifique, a gente encaminha para o órgão competente", disse.

Segundo ela, a iniciativa faz parte do programa Brasil sem Miséria, no qual, em suas palavras, "o Estado vai atrás das famílias garantindo direitos a elas".

A ministra negou qualquer relação da eleição com a gravação do programa eleitoral e afirmou que a presidente foi à comunidade Batatinha, na zona rural de Paulo Afonso, para cumprir uma agenda institucional.

"Esta agenda não foi eleitoral, era uma agenda da presidenta", disse a ministra.

Apesar da afirmação, a presidente chegou à comunidade acompanhada do ex-presidente Lula e, com ele, gravou imagens e depoimentos para o horário eleitoral.

No evento, jornalistas foram credenciados pela equipe de campanha de Dilma. Credenciais oficiais da Presidência não foram exigidas.

Maquiagem
A ministra Teresa Campello ainda negou qualquer tentativa de "maquiagem" da realidade para a gravação do programa eleitoral.

Segundo ela, programas federais já beneficiaram 2 milhões de pessoas que receberam próteses dentárias. "Se tem esse tanto, por que dona Nalvinha não pode ter direito?", questionou.

A ministra afirmou que as famílias da comunidade Batatinha foram contempladas pelos programas Luz para Todos, Água para Todos e Bolsa Família. "São ações que vêm acontecendo desde 2006. Não há nenhuma maquiagem."

Sobre a construção de um muro de proteção no forno à lenha da casa de Nalvinha na mesma semana da vinda da presidente, Campello disse que esta demanda não partiu do ministério.

Fonte: Folha.com



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Addthis