Dois mil novos casos de câncer de mama são esperados para o CE neste ano

Dois mil novos casos de câncer de mama são esperados em 2014 entre as cearenses, o que representa cerca de 40 registros da doença a cada 100 mil mulheres. O alerta foi feito, ontem, data que assinala o Dia Mundial do Câncer, pelo médico oncologista Luiz Porto.

"O câncer de mama é a principal causa de mortalidade entre as mulheres", explicou Luiz Porto, que coordena o Comitê Estadual de Câncer no Ceará. Como a doença é associada ao envelhecimento, em virtude do aumento da expectativa de vida da população esse tipo de câncer será cada vez mais comum, previu.

Também despontam como fatores de risco as mudanças de hábitos da população do sexo feminino, tais como a redução do número de filhos e a opção pela maternidade tardiamente, observou. O crescimento da obesidade e do alcoolismo entre as mulheres destaca-se, ainda, entre as causas para a elevação da incidência do câncer de mama no Ceará, acrescentou o médico.

Ontem, o Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva (Inca) divulgou, em âmbito nacional, estudo buscando estimular debates e desvendar mitos acerca da doença. Ratificou ser o conhecimento o principal aliado contra a disseminação do câncer. "A população deve mesmo se informar mais e procurar adotar medidas preventivas", confirmou Luiz Porto, lembrando da necessidade do exame de prevenção ginecológica anualmente. Já a mamografia deve ser feita a cada dois anos, após o 50 anos.

Segundo o Instituto Nacional, o estímulo ao aumento da comunicação e do conhecimento sobre o câncer dá continuidade à "Campanha Mitos e Verdades", desenvolvida no ano passado. Neste ano, a campanha é voltada para Meta 5 da Declaração Mundial do Câncer: reduzir o estigma e acabar com os mitos sobre a doença. Com o slogan Desvende os mitos sobre o câncer, o Inca vai trabalhar para esclarecer quatro mitos, sendo o primeiro deles: Câncer? Nem quero falar disso!

Mesmo sendo o câncer um tema difícil de tratar, falar abertamente sobre a doença pode trazer melhores resultados. "A informação é a principal aliada para lidar com a doença, cuja incidência no mundo cresceu 20% na última década", frisa o diretor-geral do Inca, Luiz Antonio Santini. Os outros três mitos são: Não dá para saber se temos câncer ou não, Não dá para evitar o câncer e Não tenho direito a tratamento de câncer.

Fonte: Diário do Nordeste



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Addthis