Cid Gomes diz que PSB deve lutar pela vice-presidência em 2014

O governador do Ceará, Cid Gomes (PSB), defendeu nesta quinta-feira (28) a indicação de um nome do PSB para vice-presidente na chapa de Dilma Rousseff na disputa pela Presidência em 2014. Hoje, o posto é ocupado por Michel Temer, do PMDB. "O PSB deve manter a aliança com o PT para releição da Dilma e vai lutar pela vice-presidência em 2014. Em política, ninguém dá nada de graça para ninguém. O partido tem de conquistar'', disse.

O governador fez as declarações ao chegar no seminário de comemoração dos 10 anos de governo do PT, em Fortaleza, que contou com a participação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. ''Diante do quadro em que o PMDB já ocupa a presidência do Senado e da Câmara, o PSB pode ampliar seu espaço no cenário nacional'', acrescentou.

O governador também afirmou que prefere não antecipar o debate sobre sucessão. "Não é boa estratégia tratar de eleição agora. No que depender de mim, essa discussão no Ceará só vai acontecer a partir do próximo ano'', afirmou.

Cid começou seu discurso no evento dizendo que queria cumprimentar o maior e melhor presidente do Brasil, Lula. "O PT, na companhia do PSB, PMDB, PCdoB, para citar alguns mais progressistas, conseguiram em 10 anos extirpar e acabar com a miséria de 36 milhões de brasileiros que viviam com renda abaixo de R$ 70 por mês'', disse.

A capital cearense foi a primeira das 10 cidades a receber o seminário "O Decênio que Mudou o Brasil", para defender a gestão petista no governo federal. Lula discursou sobre o combate à pobreza e reafirmou a candidatura de Dilma à reeleição no ano que vem.

Participaram ainda do evento lideranças políticas como o deputado José Guimarães (PT-CE) e os senadores Inácio Arruda (PCdoB-CE), José Pimentel (PT-CE) e Eduardo Suplicy (PT-SP).

Nesta sexta-feira (1°), ainda no Ceará, Lula participa da reunião do Diretório Nacional do PT. À tarde, acompanhado do governador Cid Gomes, ele segue para Redenção, a 63 km de Fortaleza, onde receberá às 15h o título de Doutor Honoris Causa da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab).

Fonte: G1



Addthis