P3 Midia

P3 Midia

UFCA debate criação de curso de ‘Cinema e Mídias Digitais’

Vislumbrando a possível chegada de uma graduação em Cinema e Mídias Digitais na Universidade Federal do Cariri (UFCA), a comissão de criação deste curso, junto com a Revista Sétima de Cinema, realizarão, na próxima quarta-feira (08), às 19h, no mini-auditório da instituição, um debate sobre a produção e exibição de cinema nos meios digitais. Para a discussão, foram convidados os cineastas caririenses Jefferson de Albuquerque Pedro Jorge de Castro.

Além de discutir os novos meios digitais, o evento também debaterá a importância dos espaços de formação na região do Cariri.  Por isso, a atividade é voltada, principalmente, para realizadores, estudantes, professores e ao público em geral interessado em cinema. A entrada é franca. “Os dois cineastas debaterão sobre os espaços de ensino e de suas práticas de realização no cinema. Ambos tem larga experiência cinematográfica e fazem parte dos precursores da região”, garante a professora Adriana Botelho.

A docente conta que, a partir da criação da Universidade Federal do Cariri, em 2013, professores, estudantes e técnicos administrativos reuniram-se em assembleias para pensar a ampliação e desenvolvimento das áreas de estudo e pesquisa acadêmicas. “Foi a partir desses encontros, que formou-se um grupo que desde então vem organizando atividades para pensar a criação do curso de Cinema e Mídias digitais”, explica Adriana.

A professora Adriana acredita que o cinema, como “arte da modernidade industrial”, se soma às discussões acadêmicas e produções culturais da região para contribuir com o fortalecimento local e nacional. “O Cariri é uma região que se destaca por suas manifestações culturais e históricas e entendendo que na contemporaneidade a disputa pela legitimação dos discursos e elaboração imagética que acontece nos espaços sociais passa necessariamente pelos novos meios digitais e tecnológicos”, justifica.

Os palestrantes
Nascido em Aurora, Pedro Jorge de Castro, 74, é diretor, roteirista e professor. Dirigiu alguns filmes como “O Calor da Pele” (1994), “Brasília, a última utopia” (1989),  “Tigipió, uma questão de honra” (1987). Já Jefferson de Albuquerque, 70,  natural de Crato, também é diretor, diretor de arte e ambientalista. Dirigiu produções como “Dona Ciça do Barro Cru (1981)”, “Músicos Camponeses” (1983), “Patativa do Assaré, um poeta do povo” (1984), “O Cinematógrafo Herege” (2011), “Uma História da Terra” (2012).

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis