P3 Midia

P3 Midia

Empresa suíça admite interesse no Aeroporto de Juazeiro

A operadora suíça Zurich Airport Latin America continua mapeando novas oportunidades de ampliar seus negócios e uma delas é a quarta rodada de concessões aeroportuárias que o governo federal pretende realizar no fim deste ano, que tem o Aeroporto de Juazeiro entre os terminais. "Em uma mensagem geral, estamos olhando sim para a próxima rodada", disse Stefan Conrad, CEO do grupo para a América Latina, em coletiva de imprensa.

O executivo não detalhou a avaliação do grupo sobre as condições que estão sendo propostas, lembrando que é um processo competitivo, mas disse que as regras das concessões têm melhorado continuamente.

Conrad lembrou ainda que o principal ativo do grupo - o aeroporto de Zurich, um dos mais prestigiados na Europa - já atingiu sua capacidade operacional limite, fazendo que o grupo precise olhar para outros projetos ao redor do mundo.

A Zurich Airport Latin America participou de todos os certames aeroportuários do governo federal até hoje. Na segunda rodada, a suíça entrou como sócia da BH Airport (do grupo CCR) no Aeroporto de Confins (MG) e venceu a disputa. No ano passado, o grupo arrematou sozinho o controle do Aeroporto Internacional de Florianópolis (SC).

Durante a coletiva, os executivos da operadora suíça reforçaram a visão de longo prazo para seus negócios no Brasil, brincando que têm "casamentos" com Florianópolis e Confins dos quais não podem se divorciar no curto prazo. Além dos leilões, o grupo negocia em parceria com a gestora IG4 Capital a compra da fatia privada, detida por Triunfo Participações e Investimentos (TPI) e UTC, no terminal de Viracopos (SP). Fora da Europa e do Brasil, a Zurich Airport tem operações atualmente no Chile (três aeroportos), na Colômbia (Bogotá) e Curaçao.

Blocos
Ao todo, serão leiloados 13 aeroportos em 3 blocos regionais definidos conforme a localização geográfica. Além do bloco Nordeste, o do Centro-Oeste é formado por 5 aeroportos do Mato Grosso (Cuiabá, Sinop, Barra do Garças, Rondonópolis e Alta Floresta), e o bloco Sudeste, pelos aeroportos de Vitória (ES) e Macaé (RJ). As novas concessões à iniciativa privada terão prazo de duração de 30 anos.

A quarta rodada promete ser uma das mais disputadas e o bloco Nordeste, composto por seis aeroportos (dos quais quatro decapitais), o principal alvo. Além de Juazeiro do Norte, integram o bloco os terminais do Recife (PE), Maceió (AL), Aracaju (SE), João Pessoa (PB) e Campina Grande (PB).

Viracopos
A Zurich está comprometida em fazer parte da solução para a concessão do Aeroporto de Viracopos (SP), afirmou Conrad. "Mas, se não houver sinal claro de que seremos parte da solução até fim do ano, teremos que repensar nosso compromisso", ponderou o executivo. A suíça fechou, em abril, uma parceria com a gestora de private equity IG4 Capital para apresentar proposta pelo controle de Viracopos, detido principalmente por duas empresas envolvidas na Operação Lava Jato: a Triunfo Participações e Investimentos (TPI) - em recuperação extrajudicial - e a UTC - em recuperação judicial. Desde então, o grupo interessado no ativo tem se reunido com governo, bancos e acionistas para formalizar as condições do negócio.

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis