P3 Midia

P3 Midia

Coordenador de mediação da Secretaria de Educação do Crato participa do Fórum Estadual de Mediação

Foto: Queiroz Netto
O Pacto por um Ceará Pacífico promoveu, nesta terça-feira (27), a vigésima edição do Fórum Estadual de Mediação, Justiça Restaurativa e Cultura de Paz. O evento foi realizado na sede da Vice-Governadoria e contou com a participação de entidades parceiras como a Defensoria Pública Geral do Ceará, Ministério Público Estadual (MPCE), Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE), OAB, além de representantes de secretarias municipais e organizações não-governamentais.

A vice-governadora Izolda Cela presidiu o encontro e destacou a importância do colegiado para a construção de uma Cultura de Paz no Ceará. “Esse fórum congrega as entidades, instituições, movimentos sociais e entidades privadas que se comprometem com a agenda relacionada com a mediação de conflitos e a construção de convivências de culturas pacíficas a justiça restaurativa. Esse fórum, que acontece de forma rotativa com diversas instituições acolhendo, existe no sentido de mobilizar, articular e integrar essas instituições, inclusive para que possamos, juntando forças, expandir com mais vigor essa presença e esses espaços de mediação”, afirmou Izolda Cela.

Durante o encontro, os membros do Fórum Estadual apresentaram as ações realizadas no ano passado e o planejamento para 2018. Criado em 2016, o Fórum atua como parceiro do pacto por um Ceará Pacífico e é composto por 27 instituições. A iniciativa também realiza cursos na área, em parceria com a coordenadoria de mediação, justiça restaurativa e cultura de paz da Vice-Governadoria tendo formado mais de 600 pessoas e tem o objetivo de promover uma cultura de paz por meio de técnicas de solução de conflitos.

Implantação de células de mediação no interior do Ceará
De acordo com o coordenador de mediação da Secretaria Municipal de Educação do Crato, Moisés Otávio, “com o apoio da vice-governadora Izolda Cela, passamos a implantar a célula de mediação no Crato no início de dezembro e, hoje trabalhamos, na perspectiva de trabalhar o gestor escolar para que eles possam através do relacionamento humano e assim possam trabalhar como agentes transformadores para as nossas crianças. Acreditamos nesse processo de autoconhecimento, motivação, comunicação e principalmente saber lidar com o outro para saber tratar bem as pessoas”.

Mediação: Falar de si, ouvir o outro e chegar a um consenso
A supervisora da Defensoria pela Paz (Depaz), localizada no território do Ceará Pacífico do  Vicente Pinzón, defensora pública Michele Alencar Ponte, destaca que o trabalho desenvolvido passou a evitar a judicialização de processos, através do diálogo e da mediação. “Desde 2004 atuamos no Mucuripe, e com a cultura de paz e mediação, o primeiro efeito visível destas práticas são mostradas em números. Hoje judicializamos 30% das demandas da defensoria no território do Vicente Pinzón e conseguimos 70% de acordos, o que mostra uma grande diferença, pois no início, esses números já foram 80% de judicialização e apenas 20% de acordos. Estamos fazendo educação em direitos nas escolas, pois as pessoas não sabem que tem seus direitos. Estamos combatendo agressões e feminicídio, pois conseguimos através da educação e de rodas de conversa, um empoderamento que vem implantando uma cultura de paz na prática do falar de si, ouvir o outro e chegar a um consenso”, reforçou Michele Alencar.

As reuniões do Fórum acontecem mensalmente. O próximo encontro é no final de abril e será realizado na Secretaria de Justiça e Cidadania.

Assessoria de Comunicação/Vice-Governadoria

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis