P3 Midia

P3 Midia

Cidades do CE sofrem consequências com o fechamento dos bancos

Parece cena de filme repetido. No Ceará, neste ano, 55 instituições financeiras foram atacadas por criminosos. Em 28 casos, as cidades do interior foram alvos de bandidos fortemente armados, com explosivos, que invadiram as agências levando o que encontraram nos caixas eletrônicos e cofres. As ações causaram dano material ao patrimônio dos bancos. O último, aconteceu na última terça-feira (14), em Banabuiú, na unidade bancária do Bradesco, mas nenhuma quantia foi levada.

Com os ataques, os moradores dos municípios são os mais prejudicados. É o caso da população de Missão Velha, que ficou sem os serviços bancários desde o dia 3 de fevereiro, quando duas agências, do Banco do Brasil e do Bradesco, foram assaltadas por um bando fortemente armado, que explodiu cofres e caixas eletrônicos. Cerca de R$ 600 mil foram levados. "Vem fazendo muita falta", confessa o mototaxista Auderir Duarte.

A unidade do Bradesco foi reaberta, mas ainda sem todos os serviços, como saques nos caixas eletrônicos, enquanto o Banco do Brasil segue fechado, mantendo a mesma aparência após as explosões. Os moradores de Missão Velha que utilizam o banco estatal agora percorrem cerca de 27Km para a agência mais próxima, na cidade vizinha de Barbalha, para fazer todo tipo de movimentação financeira. No entanto, os funcionários montaram uma estação na sede da Prefeitura para realizar serviços específicos para correntistas, como a abertura de conta e desbloqueio de senha. Em média, cerca de 30 pessoas utilizam o terminal.

Um dos setores mais prejudicados com a ausência do Banco do Brasil é a economia local. Segundo o empresário Rafael Canan, sócio de uma distribuidora de bebidas e alimentos, o comércio enfraqueceu. Muitos moradores fretam transporte alternativo e compram suas feiras em Barbalha, onde sacam benefícios, como aposentadoria e pensão. "O povo tá levando o dinheiro todo pra Barbalha. Antes, o pessoal sacava o dinheiro, pagava uma conta, fazia uma compra aqui", lamenta o comerciante.

Em Nova Olinda, o cenário não é diferente, mas ainda mais preocupante, pois além da agência do Município, Assaré e Potengi, cidades próximas, também sofreram ataques e estão fechadas. A solução é viajar até Santana do Cariri ou Crato. Dependendo do local que utilizará o serviço, o trajeto pode durar até 2h30.

Segundo o vigilante Manoel de Souza, morador de Nova Olinda, seus conterrâneos percorrem 22Km para Santana do Cariri ou 44Km ao Crato para utilizar dos serviços. "A casa lotérica não dá conta dos pagamentos. Nos primeiros dias do mês, temos que ir a essas cidades e todas elas ficam lotadas", denuncia.

Segundo o Sindicato dos Bancários do Ceará, quatro agências do Banco do Brasil serão fechadas: Hidrolândia, Pedra Branca e Saboeiro, que sofreram ataques, e Catunda. A entidade que representa os funcionários de banco está fazendo um documento para entregar às instituições financeiras, exigindo a reabertura de todas as unidades. São 32 fechadas ou funcionando parcialmente em todo Estado.

A Federação Brasileira de Bancos (Febraban) explica que a decisão de abrir ou fechar uma agência é feita individualmente pelas instituições financeiras, levando em conta questões de segurança ou de negócio. No ano passado, 339 assaltos ou tentativas de assaltos a bancos foram registradas no Brasil. O número indica uma redução dos anos anteriores, algo que acontecia também no Ceará entre 2013 e 2015. No entanto, ano passado, 78 ataques aconteceram, oito a mais que no ano anterior.

O Banco do Brasil informou que está avaliando a estrutura e o funcionamento de sua rede de agências, inclusive no Ceará. Dentro desta análise, estão os fatores de segurança, rotina e sustentabilidade do negócio. Várias agências tiveram suas estruturas totalmente comprometidas. O banco reconhece que essas ocorrências criminosas têm levado à suspensão temporária ou mesmo definitiva do atendimento em alguns municípios.

ANTONIO RODRIGUES
REPÓRTER

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis