P3 Midia

P3 Midia

5 dicas para você não torrar grana à toa ou ser enganado na Black Friday

Está chegando o final de semana do ano mais aguardado pelos entusiastas da tecnologia e por quem simplesmente quer economizar aquela grana na compra de itens novos: a Black Friday, que cai no dia 24 de novembro. De acordo com a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) a expectativa é de que a movimentação deste ano seja de R$ 2,506 bilhões via e-commerce, um aumento de 18% em relação à temporada passada.

O levantamento da ABComm prevê que as lojas virtuais recebam mais de 10 milhões de pedidos, com valor médio de R$ 246 por item — os smartphones continuam sendo os mais procurados. E você, já está preparado para gastar o 13º salário ou aquelas economias? Então fique de olho nestas dicas preciosas para não torrar grana a mais ou ser passado para trás.

1. Fique de olho na oscilação dos preços
Você já deve ter ouvido falar de alguém que viu um aparelho por um preço, que de repente aumenta bruscamente nas proximidades da Black Friday e, quando a data chega, o desconto aproxima o valor do que era inicialmente. Essa maquiagem tem sido comum nas últimas temporadas, portanto é sempre recomendável monitorar essa flutuação antes da semana do dia 24. 

2. Lista de sites a serem evitados
Para facilitar sua vida, a Fundação de Proteção e Defesa do Consumidor (Procon) montou uma lista com estabelecimentos que devem ser evitados, seja devido a reclamações de consumidores, notificações ou falta de respostas quando questionados sobre suas práticas comerciais. Clique neste link para abrir e fuja dessas lojas!

3. Reputação vale muito
Uma das melhores formas de saber se vale a pena comprar tal produto e em determinada loja ainda é o boca a boca; afinal, se outras pessoas já tiveram algum problema, você também pode vir a ter. Para isso é recomendável avaliar a reputação dos estabelecimentos, serviços e produtos no Reclame Aqui, no Ebit ou até mesmo nos comentários das páginas oficiais no Facebook.

Além disso, os sites confiáveis possuem o endereço com as iniciais “https”, com um cadeado verde e fechado: isso indica que a página foi verificada como segura pelos órgãos reguladores.

4. Cuidado com os golpes via email
Muita gente acaba caindo em golpes de cibercriminosos nessa época, com destaque para o phishing, que é a prática de obter dados sensíveis e de contas bancárias a partir de páginas muito semelhantes às originais.

Desconfie de promoções mirabolantes, observe bem antes de inserir formas de pagamento e passe o mouse para conferir para onde vão os links de descontos. 

5. Atenção com os detalhes sobre o produto
Daí você foi lá e, seduzido pela possibilidade de levar para casa aquele telefone top de linha pela metade do preço, esqueceu de conferir a disponibilidade — e é aí que percebe que só terá em mãos o produto atualmente fora de estoque daqui a uns 2 ou 3 meses.

Acontece com frequência, então fique esperto com relação a isso. Vale também ler bem a respeito das políticas de troca e detalhes técnicos, para não sofrer com surpresas desagradáveis.

Black Friday
A Black Friday surgiu como forma de aumentar as vendas no comércio norte-americano dos anos 60 e, com o tempo, migrou para as compras online como uma megaliquidação para reposição de itens para as vendas de Natal. O Brasil e outros países vêm adotando essa estratégia desde 2008, e durante o período o público já espera grandes descontos e oportunidades que costumam estar disponíveis somente nessa data.

Fonte: Tecmundo

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis