Banner P3 728x90

Banner P3 728x90

Maconha pode deixar espermatozoides preguiçosos

A maconha, ilegal no Brasil, há anos é objeto de estudo no mundo inteiro e alvo de polêmicas.

Pois, agora, um novo trabalho revela que a droga tem impacto na fertilidade masculina. De acordo com estudo recente da Universidade da Colúmbia Britânica, no Canadá, ela pode influenciar negativamente não só na contagem de esperma, como também na função espermática das células reprodutivas masculinas.

Aparentemente, a droga faz com que eles nadem em círculos – ao invés de atingirem seu principal objetivo.

O mesmo efeito relaxante que a maconha tem sobre o corpo também teria nos espermatozoides. De acordo com Victor Chow, professor clínico da universidade, o consumo da erva afeta sua mobilidade espermática. Uma das razões pelas quais há um efeito tão imediato na fertilidade masculina, Chow explicou, é porque “o esperma é uma célula que gira muito rapidamente”. Isso significa que, enquanto as mulheres nascem com todos os ovos, os homens produzem novos espermatozoides todos os dias.

De acordo com ele, é improvável que o consumo ocasional da erva cause muito mal, mas alertou que “definitivamente afetará a qualidade do esperma”.

Já Armand Zini, médico e professor associado de urologia na Universidade McGill, também canadense, e especialista em fertilidade masculina, admitiu que “a ciência ainda não é muito forte”. Ele explicou que não houve muitos estudos e a maioria dos que existem observa o efeito da cannabis nos espermatozoides em animais.

Pesquisas anteriores já mostraram que o uso regular da erva pode reduzir a contagens de espermatozoides em até um terço.

Mas os problemas de fertilidade não são o único perigo de fumar maconha. A droga pode aumentar a frequência cardíaca e afetar a pressão arterial. Também foi revelado recentemente que a maconha pode afetar a forma como os joelhos, os cotovelos e os ombros de um fumante se movem quando estão caminhando.

Novos estudos são necessários para obter mais detalhes sobre o efeito da erva na fertilidade.

Fonte: Veja.com

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis