P3 Midia

P3 Midia

Juazeiro do Norte (CE): Ensino de Jovens e Adultos (EJA) tem aumento de 182%

No primeiro trimestre deste ano, a Pesquisa Nacional de Amostra de Domicílios (Pnad) divulgou um preocupante dado sobre a educação deste Município, o maior do Interior cearense. Dos quase 230 mil habitantes, 29 mil juazeirenses, com 15 anos ou mais, são analfabetos, o que representa mais de 12%. Na tentativa de reverter o quadro, a Secretaria de Educação de Juazeiro (Seduc) desenvolveu uma série de estratégias. Os primeiros resultados animam. O Ensino de Jovens e Adultos (EJA) registrou um aumento de 182,47% nas matrículas desse segmento para o ano de 2017 até o início de agosto.

De acordo com dados da Seduc, no ano de 2016 foram matriculados 679 alunos nas turmas do EJA I, II, III e IV. Neste ano de 2017, até o início de agosto, já haviam sido matriculados 1.918 estudantes. Apesar do crescimento significativo do alunado, a Secretaria Maria Loureto de Lima ressalta que o desafio é minimizar a evasão dos estudantes. "Historicamente, o EJA sofre muito com a evasão escolar. Isso se deve, muitas vezes, pelo cansaço do dia a dia enfrentado pelos alunos, cuja maioria possui jornadas exaustivas de trabalho", avalia. Para manter esses alunos em sala de aula, explica Loureto, a coordenação do EJA tem buscado trabalhar junto aos professores propostas pedagógicas que tornem as aulas mais atrativas e menos cansativas. Uma das alternativas encontradas pela Seduc é a inclusão de ofertas atrativas à grade curricular, conforme conta a diretora pedagógica Cármen Lúcia Tomas Bezerra. "Planejamos a inclusão de atividades físicas em momentos diversificados durante as aulas, ocupando espaços e horários ociosos, com o objetivo de se trabalhar a permanência dos alunos na rede de ensino", disse Loureto.

Para além dessas atividades, Carmen destacou três importantes pontos os quais considera ser "fundamental" não só para permanência do aluno em sala de aula, quanto para diminuição da alta taxa de analfabetismo, que cresceu nos últimos seis anos.

Educador
"O principal é a boa formação do educador. É por ele que tudo começa. Em seguida, o acompanhamento pedagógico e, posterior, mas não menos importante, o planejamento. São diretrizes que, quando bem aplicadas, trazem resultados efetivos", destacou a diretora.

Loureto acrescenta dizendo que "o Município mudou as metodologias e as avaliações diárias das propostas pedagógicas nas salas de aula". Conforme garantiu a Seduc, até o fim do ano, palestras formadoras e motivadoras serão realizadas com "vistas a oferecer aos professores do EJA da rede municipal de ensino orientações para o aperfeiçoamento de suas práticas pedagógicas dentro da sala de aula" .

Em 2010, Juazeiro contava com 23 mil analfabetos. Seis anos depois, essa número subiu mais de 20%. "É um dado preocupante e que nos entristece", reconheceu Loureto. Essa elevação na quantidade de pessoas que não sabem ler ou escrever vai na contra mão da taxa geral de analfabetismo observado entre brasileiros com a mesma faixa etária. Pelo quarto ano consecutivo o Pnad identificou queda na porcentagem.

Em 2012, 8,7% da população era considera da analfabeta. No ano seguinte, esse índice caiu para 8,5%; em 2014, para 8,3% e, em 2015, ano da última pesquisa, a taxa foi estimada em 8% da população, o que representa 12,9 milhões de brasileiros. Conforme projeta Maria Loureto, a meta do município para os próximos quatro anos é reduzir o atual número de analfabetos entre "40% a 50%".

Maiores informações:
Secretaria Municipal de Educação
Endereço: Rua Quinze de Novembro, s/n, Bairro São Miguel
Telefone: (88) 3511-5407

ANDRÉ COSTA
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis