P3 Midia

P3 Midia

Missa e homenagens relembram os 71 anos da morte do Beato fundador do Caldeirão

A Organização Não Governamental Beato José Lourenço promove nesta sexta-feira (10), a partir das 17h na Capela de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em Juazeiro do Norte-CE, a tradicional Missa em memória do Beato fundador da comunidade do Caldeirão da Santa Cruz do Deserto, uma organização social autossustentável e religiosa, que tinha como base os princípios cristãos de oração, fraternidade e trabalho coletivo. A celebração recorda os 71 anos de falecimento do religioso José Lourenço Gomes da Silva, que deixou um legado importante para os movimentos sociais, que buscam por melhores perspectivas de vida para o homem do campo.

Para Pedro de Andrade Sales, presidente da ONG Beato José Lourenço, celebrar a memória do líder religioso do Caldeirão é uma forma de reconhecer sua importância na trajetória de lutas e resistências dos sistemas de práticas rurais no Brasil. “O beato José Lourenço era católico e também seus seguidores, então celebrar é dizer que o beato vive na memória e no coração de cada remanescente e de todos aqueles que o admiram, respeitam e o reconhece como líder de um movimento social que contribuiu para amenizar o sofrimento do povo nordestino”. Ainda segundo o titular da Organização, esse é um momento oportuno para homenagear  as pessoas que atuam como propagadores do conhecimento para as novas gerações. “Aqueles que ao longo do tempo revivem a memória do Caldeirão através de escritos ou qualquer outra forma de lembrar o nome do beato José Lourenço é digno de agradecimento e assim através da ONG entregamos um certificado de reconhecimento e gratidão pelo seu empenho em contribuir com a memória de um povo”, aponta.

Após a cerimônia religiosa serão outorgadas homenagens para 10 pessoas que, ao longo do tempo, vêm contribuindo para a difusão e a preservação da memória do Caldeirão e do patrimônio histórico-cultural da região do Cariri. Entre os agraciados deste ano estão o remanescente do Caldeirão, Pedro Alexandrino Neto; o historiador Raimundo Rodrigues Araújo; o professor Antonio Pereira da Silva; o produtor cultural José André de Andrade; o escritor Daniel Walquer de Almeida Marques; o professor Antonio Renato Soares de Casimiro; o comunicador Aguinaldo Carlos de Sousa; o locutor José Wellington Costa dos Santos; o professor Francisco Renato de Souza Dantas e a xilograva Erivana D’arc Daniel da Silva Ferreira.

Segundo a homenageada Erivana D'Arc, autora do álbum “O Caldeirão! A esperança de um povo...", esse reconhecimento é fruto do trabalho xilográfico realizado sobre a memória do Cariri Cearense.  “Está sendo homenageada, me remete a pensar  na construção do contexto Caririense, a figura do Pe. Cícero Romão Batista, o Beato José Lourenço, a comunidade do caldeirão: o povo, a esperança, a vida social e todo o desenrolar entorno desta historia. É tentar imaginar o quão grande foi José Lourenço, o quanto esperançosas estavam as pessoas que almejavam a dias melhores, tão propícias foram as terras do Pe. Cícero Romão, tão equivocados os governantes da época, enfim é uma viagem de descobertas!"

De acordo com a xilógrafa difundir a história do Beato é uma forma de mostrar que é possível construir uma sociedade melhor, mais justa e igualitária. “O legado de empoderamento deixado pela Historia do Caldeirão tendo como protagonista principal, o Beato José Lourenço faz dessa celebração, e de outras que virão, uma demonstração da persistência de ser, de inspiração e de continuidade para gerações futuras e como uma grande herança para a preservação memorial da história do Ceará”, afirma.

O Coordenador das Pastorais Sociais da Diocese do Crato, Padre Vileci Basílio Vidal, autor da obra “Ecos do Caldeirão” e membro ativo de trabalhos voltados para salvaguarda às recordações daquele espaço, irá presidir a Santa Missa, em ação de Graças ao Beato José Lourenço e a comunidade do Caldeirão.

A Missa do Beato
O ato litúrgico teve inicio no ano de 2009, quando os irmãos Pedro Andrade e Maria José de Sales, filhos de remanescentes do Caldeirão, tiveram a iniciativa de realizar uma missa em tributo ao Beato José Lourenço e as vítimas da comunidade do Caldeirão. O religioso faleceu em 12 de fevereiro de 1946, de peste bubônica em Pernambuco, mas seu corpo foi sepultado no Cemitério do Socorro em Juazeiro do Norte, onde acontece a tradicional celebração eucarística.

Serviço:
Missa de 71 anos de falecimento do Beato José Lourenço
Data: 10 de fevereiro de 2017
Horário: 17h
Local: Capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorra (Rua Santa Luzia, s/n, Juazeiro do Norte)

Mais informações: (88) 9 9909.4054/9 8862.8021

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis