Banner P3 728x90

Banner P3 728x90

Certificação de qualidade do HRC contrasta com situação crítica de hospitais do Cariri

Há uma semana, o Hospital Regional do Cariri recebeu certificação de qualidade, exclusiva para instituições de saúde, de nível III. Concedido a menos de 25 unidades de saúde de todo o país, o título da Organização Nacional de Acreditação (ONA) homologa requisitos de segurança e gestão integrada até o nível de excelência gerencial. No entanto, apesar da importante certificação, o quadro da saúda da região do Cariri passa por um momento delicado.

Os três hospitais de Barbalha, que juntos atendem cerca de 1.500 pacientes por dia, estão “com dificuldades financeiras”, conforme afirmaram os diretores do Hospital Maternidade São Vicente de Paulo (HMSVP), Hospital do Coração do Cariri e o Hospital Maternidade Santo Antônio. As três unidades referências para mais de 60 municípios do Ceará e Estados vizinhos passam por uma grave crise financeira há, pelo menos, sete meses. “Estamos mendigando, pedindo esmola para conseguir atender a população do Cariri”, afirma o secretário-executivo HMSVP, Antônio Ernani de Freitas.

Juntos, os Hospitais do Coração e São Vicente, acumulam prejuízos milionários pelo não repasse do Ministério da Saúde. A dívida já ultrapassa a ordem dos R$ 3 milhões. “Desde agosto passado o hospital não recebe uma verba de R$ 250 mil do SUS”, diz Ernani. “Estamos operando há meses acima do nosso teto. Isso é, atendemos mais pacientes do que recebemos verba para tal”, acrescenta. Para tentar frear os prejuízos acumulados aos longos dos meses, a direção do hospital limitou, desde a semana passada, os atendimentos.

“Quando ultrapassarem o teto financeiro, o HMSVP para de atender, infelizmente”, pontuou o diretor. Desde o início do mês, o pronto socorro do hospital só está atendendo urgência e emergência, os demais casos estão sendo encaminhados para os PSFs. Já no Hospital do Coração, o teto de atendimento que está fixado em R$ 272 mil, é superado com facilidade. “O hospital tem operado com déficit mensal de R$ 90 mil”, afirma o diretor de projetos Egberto Santos, ao afirmar que o prejuízo chega supera a casa dos R$ 2 milhões. A unidade também estuda a possibilidade de suspender o atendimento a partir de março.

Com a limitação nos atendimentos destas unidades, o HRC, criado para o atendimento terciário, referência em traumatologia e em Acidente Vascular Cerebral (AVC), acaba sofrendo desvio de finalidade, conforme fora identificado durante inspeção realizada por defensores públicos integrantes do Grupo de Trabalho da Saúde da Defensoria Pública do Ceará.

Segundo Damito Robson Xavier, coordenador da emergência do HRC, atualmente há um “inchaço na demanda”, cujo recursos da unidade não estão suportando. “Antes do HRC, na rede pública, só havia unidade de AVC em Fortaleza, no Hospital Geral. É distante demais, cerca de seis horas via ambulância, e o tempo para evitar sequelas em pacientes que moram no Cariri é de até quatro horas e meia. Então, se o paciente estiver com os primeiros sintomas em qualquer unidade de saúde da região, eles mandam para o HRC. Mas chegou ao ponto de mandarem todos os tipos de demanda, que muitas vezes poderiam ser resolvidas em posto de saúde ou nas UPA’s”, explica.

O diretor de Gestão e Atendimento do Hospital, Bergson de Brito, lembra que “boa parte dos atendimentos eletivos ficaram sacrificados porque os leitos recentes estão sendo consumidos pela nossa emergência”. Desta forma, com a crise vivida nos hospitais da cidade vizinha, o inchaço na demanda pode ser acentuada na unidade que, desde 2011, já realizou 2.944.030 atendimentos.

Acreditação
Em 2014, o HRC iniciou o processo de avaliação externa, no qual a ONA conferiu a certificação de Acreditado Pleno – Nível 2. Com isso, o HRC tornou-se o primeiro hospital público do interior do estado com emergência e mais de 200 leitos das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste do País a ser acreditado pleno. Dois anos depois, no processo de recertificação, a ONA atesta o amadurecimento do trabalho realizado por toda a equipe de gestão, colaboradores, além de prestadores de serviços e fornecedores, e desta vez o HRC recebeu o título de Acreditado com Excelência – Nível III.

Acreditação Hospitalar é uma certificação de qualidade, exclusiva para instituições de Saúde. O Sistema de Acreditação é uma metodologia reconhecida pelo Ministério da Saúde e pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), sendo concedida pela Organização Nacional de Acreditação. Esta certificação tem o objetivo de comprovar a segurança no gerenciamento de processos, tanto assistenciais como administrativos, reforçando a credibilidade, a confiança e a sustentabilidade da instituição, visando sempre a uma assistência segura e de qualidade para população.

Saiba mais
Primeiro hospital público terciário construído no interior do Ceará, o HRC atende 1,4 milhão de habitantes dos 45 municípios da macrorregião do Cariri. Com 324 leitos, o HRC tem cobertura 24h para Urgência e Emergência e é referência em traumatologia e em Acidente Vascular Cerebral (AVC). Foram realizadas ainda 49.646 internações e 38.881 cirurgias no hospital, que também faz a captação de órgãos e tecidos para transplante desde junho de 2012.

ANDRÉ COSTA
COLABORADOR

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis