Banner P3 728x90

Banner P3 728x90

Crato (CE): Historiador cria banco de dados sobre genealogia de famílias do Cariri

Há doze anos, Antônio Correia Lima pesquisa as famílias do Cariri
(Foto: Ronuery Rodrigues/Ag. Miséria)
Há mais de doze anos, Antônio Correia Lima, o Toinho da Rádio, como é conhecido no distrito Ponta da Serra, que fica a 14 quilômetros da sede de Crato, tem preenchido parte do seu tempo com a pesquisa sobre a genealogia das famílias da sua localidade. O trabalho, conforme ele conta, foi influenciado por um amigo, Denir Ribeiro, que pediu que ele buscasse conhecer a história do lugar, iniciando sua trajetória de pesquisador com os mais idosos, à época, que lhe passaram informações sobre a povoação do distrito.

Os livros de registro de nascimento, casamento e óbito do cartório local; livros da cúria diocesana, serviram-lhe de matéria prima para compor um grande acervo sobre as ramificações das famílias da região. Toinho guarda em seu computador e em sua mente, a genealogia de algumas famílias que povoaram o distrito, assim, ter sobrenome Ante Portão de Souza; Pereira da Silva; Xenofonte; Pinheiro Leite, Ferreira Leite; Bernardo Vieira; Brito; Siebra; Correia; Vilar; Correia Cirilo; Brasil e Paes Barreto, e conversar um pouco com o historiador, rapidamente o cidadão obterá informações de quem foram seus ancestrais.

A atividade que também é hobby não envolve dinheiro e, conforme explica Toinho, o trabalho é amplo e exige esforço, ele geralmente dorme só após as duas da madrugada, “ mas não é no facebook não”, brinca. “É pesquisando sobre as famílias”, explica. Assim, o pesquisador é possuidor de um rico banco de dados inéditos, não só das famílias de Ponta da Serra, mas de famílias tradicionais do Cariri.

São informações desconhecidas que se perderam no tempo e conforme Toinho, as famílias não tem acesso. “ Eu acho importante que a própria família não tem, e os livros não vão sair de porta em porta. Eu levo aquilo que eles não têm acesso”, explica. E continua, “ O meu maior objetivo é repassar pra família, essas informações que ela não tem, e cada um vai fazendo sua genealogia”, finaliza.

Dos mais de oitocentos inventários disponíveis no Centro de Documentação do Cariri (CEDOC) da Urca, Toinho já teve acesso a mais de trezentos. E para o historiador, não são só famílias importantes da região, mas aquelas que ele identifica e consegue lembrar de algum dado sobre a genealogia lhe desperta interesse.

Aos 65 anos, o historiador que passou doze anos estudando o supletivo, e depois formou-se em história pela Universidade Regional do Cariri (URCA), em 2008, faz parte dos planos futuros, escrever um livro sobre esse seu trabalho. No entanto, conectado com a rede, o pesquisador busca atingir seu público em curto período de tempo, através dos seus bloggers (Clã familiar de Ponta da Serra e Algumas famílias Caririenses). “Hoje em dia, as famílias têm esse interesse de saber quem foram seus ancestrais e aproveita a internet para esse tipo de coisa”, disse.

Conforme conta Antônio Correia, foi através do seu trabalho que alguns membros de famílias de Ponta da Serra reencontraram parentes que estavam sem contato há anos. O Toinho da Rádio, mantém há mais de doze anos, uma amplificadora em sua casa que fica na Rua Monsenhor Assis Feitosa, além de bloggers e um jornal mensal do distrito, onde aborda temas referentes a genealogia de famílias da região.

Ronuery Rodrigues

Fonte: Miséria

Curta nossa página no Facebook



Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis