P3 Midia

P3 Midia

Sabia que espremer as espinhas do rosto pode matar você?

Todo mundo sabe o quanto é difícil resistir à tentação de espremer aquelas espinhas malditas que teimam em aparecer no nosso rosto. E todo mundo já ouviu que devemos deixar as danadas de lado, já que cutucá-las pode piorar o problema e ainda dar origem a cicatrizes. No entanto, você sabia que mexer nas espinhas da face pode ser extremamente perigoso?

De acordo com Sarah Young, do portal Independent, quem faz o alerta sobre os riscos de espremer espinhas do rosto — especialmente as que aparecem em uma região conhecida como “triângulo perigoso” — são os dermatologistas e, segundo eles, embora seja bastante raro, não resistir à tentação pode inclusive levar à morte.

Resista
O triângulo perigoso, caso você nunca tenha ouvido falar, é uma área do rosto que vai da ponte do nariz até os cantos da boca — conforme você pode ver na imagem abaixo —, incluindo parte dos olhos e o lábio superior. O problema é que essa região é bem vascularizada e conta com diversos vasos que se comunicam com a cavidade craniana.

Acontece que, quando esprememos espinhas que aparecem nessa região, abrimos caminho para que possíveis infecções aconteçam — e sejam transportadas diretamente até o cérebro pela corrente sanguínea.

Assim, em determinadas situações (bem raras, mas não impossíveis!), o simples ato de cutucar a pele pode resultar em tromboses do seio cavernoso — ou seja, formação de coágulos em uma das veias localizadas na base do cérebro —, meningites e abscessos cerebrais. E a gente nem precisa dizer que essas três complicações são extremamente graves e potencialmente mortais, não é mesmo?

Portanto, quando um dia você se olhar no espelho e encontrar uma daquelas espinhas amarelonas no rosto, resista à tentação e a deixe quietinha! Vale mais a pena aguardar alguns dias para que ela desapareça do que correr o risco de sofrer perda de visão, paralisia temporária ou até morrer por causa de uma bobagem.

Fonte: Mega Curioso

Curta nossa página no Facebook



Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis