Crato registra 3 casos de estupro em 4 dias; ato na Câmara cobra por segurança

Após sucessivos casos de estupro investigados nos últimos pela Polícia Civil deste município, a 400 quilômetros de Fortaleza, entidades de movimentos sociais e grupos de defesa à mulher promoveram um debate, na manhã desta terça-feira (9), na Câmara de Vereadores da cidade no intuito de cobrar “providências sobre os casos e segurança, sobretudo às mulheres”, conforme a secretária Conselho Municipal dos Direitos da Mulher Cratense (CMDMC), Verônica Isidório.

De acordo com Delegacia de Defesa da Mulher, foram três casos registrados nos últimos quatro dias. Para Verônica, no entanto, além dos casos denunciados “outras mulheres sofreram tentativas nas últimas semanas”o que trouxe, segundo ela, “temor à população”. A feminista adverte que o maior objetivo dos movimentos sociais é “mobilizar o poder público para que ele tome para si a responsabilidade de garantir segurança para todos”.

Para o conselho, “tais casos não são aleatórios, nem exceção. Não se trata simplesmente de maníacos que estão pontualmente atacando as mulheres. Trata-se de uma cultura patriarcal altamente naturalizada na sociedade de que o corpo da mulher não pertence a ela própria. Se houvesse segurança e justiça quem deveria ter cuidado e temer seriam os estupradores, não nós, mulheres”.

Apesar do sentimento de medo, Verônica afirma que diante dos últimos acontecimentos, os grupos devem se organizar e lutar por uma sociedade menos machista e mais segura. “Não nos calaremos, não nos trancaremos em casa. Estamos nas ruas para exigir segurança dos órgãos policiais, para exigir das câmaras legislativas e da administração política políticas públicas de prevenção à violência de gênero. Por isso, chamamos toda a sociedade a dizer basta aos estupros e à cultura do estupro”.

Para o delegado Diogo Galindo, responsável pelas investigações dos dois estupros cometidos no último sábado, dia 06, “os casos não possuem ligação entre si e não há razão para pânico”. Segundo explica, “muitas pessoas têm espalhado boatos nas redes sociais, afirmando que um homem em um carro preto está praticando esses crimes, o que não é verdade. Apenas um caso a vítima relatou um veículo preto, nos outros, não há essa referência”.

A escrivã, Nívea Freitas, acrescentou que um dos suspeitos já foi preso e os outros dois estão sendo procurados. Quanto a possíveis tentativas de estupro divulgadas nas redes sociais, ela ressalta que “estão divulgando informações falsas”. “Uma mulher recentemente se assustou ao ver um carro parado próxima a ela no centro do Crato, correu e quebrou o tornozelo. Muitas pessoas já afirmaram ter sido uma tentativa de estupro, quando na verdade não foi”, concluiu.

No próximo sábado, dia 13, a Frente das Mulheres dos Movimentos do Cariri, o Conselho Municipal de Defesa dos Diretos da Mulher Cratense e Grupo de Valorização Negra do Cariri (Grunec) realizarão um ato público, as 8 horas, em frente à prefeitura do Crato perindo segurança e cobrando “políticas públicas que combatam a cultura do estupro”, finalizou Verônica.

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis