P3 Midia

P3 Midia

Gordura saturada faz mal à saúde, confirma estudo

Comer alimentos ricos em gordura saturada, como manteiga, queijo, banha de porco, carne vermelha, biscoitos, bolos e tortas, aumenta o risco de morte prematura. A conclusão é de um estudo publicado recentemente no periódico científico JAMA Internal Medicine.

Felizmente, substituí-las por gorduras insaturadas ou poli-insaturadas, presentes em óleos de origem vegetal, alguns peixes, nozes e sementes, reduz a probabilidade de morte por doenças cardíacas, respiratórias, câncer, Parkinson e Alzheimer. Para chegar a estas conclusões, pesquisadores da Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, acompanharam a dieta, a saúde e o estilo de vida de mais de 120.000 pessoas, ao longo de três décadas, por meio de questionários respondidos a cada dois ou quatro anos.

Os resultados mostraram que as pessoas que comeram mais gorduras saturadas e trans tiveram taxas de mortalidade mais elevadas do que aquelas que consumiram o mesmo número de calorias em carboidratos. A pesquisa apontou também que a substituição das gorduras saturadas pelas insaturadas presentes em alimentos vegetais – como azeite extra virgem, óleo de canola ou de soja – pode trazer “benefícios substanciais para a saúde e deve continuar sendo uma mensagem essencial nas recomendações nutricionais”.

“Houve confusão generalizada na comunidade biomédica e no público em geral nos últimos anos sobre os efeitos de tipos específicos de gorduras na saúde. Esse estudo documenta benefícios importantes das gorduras insaturadas, especialmente quando elas substituem gorduras saturadas e trans.”, disse Dong Wang, principal autor do estudo.

As gorduras trans, incluindo as parcialmente hidrogenadas como a da margarina, tiveram os piores impactos na saúde: cada aumento de 2% na ingestão dessas gorduras estava associado com um aumento de 16% no risco de morrer mais cedo. No caso da gordura saturada, cada aumento de 5% no consumo esteve ligado a uma probabilidade 8% maior do risco de morrer.

Estudos anteriores mostraram que a ingestão destas gorduras está associada ao aumento do colesterol no sangue, o que leva ao depósito de placas nas artérias que, por sua vez, pode causar infarto ou acidente vascular cerebral (AVC).

Por outro lado, a ingestão de grandes quantidades de gorduras insaturadas ou poli-insaturadas, como ômega-3 e ômega-6, encontrados em óleos de peixe, de soja e de canola, foi associada à redução de 11% a 19% no risco de morte, em comparação com o consumo do mesmo número de calorias provenientes de carboidratos.

Mesmo o consumo de pequenas quantidades de gordura poli-insaturada no lugar da saturada já traz grandes benefícios para a saúde. Segundo o estudo, substituir 5% das calorias ingeridas provenientes de gorduras saturadas (cerca de 15 g) por poli-insaturadas, reduz a chance de morte prematura em 27%.

Enquanto alguns especialistas ressaltaram que o estudo foi observacional baseado em questionários, o que, portanto, não confirma uma relação de causa e consequência, o resultado geral está em consonância com muitos outros grandes estudos sobre alimentação e saúde.

Fonte: Veja.com

Curta nossa página no Facebook



Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis