Banner P3 728x90

Banner P3 728x90

Juazeiro do Norte (CE): Aeroporto corre o risco de fechar

Empresários da cidade de Juazeiro do Norte, no Ceará, iniciaram uma campanha nas redes sociais para cobrar do governo federal a reforma e ampliação do Aeroporto Orlando Bezerra de Menezes. Eles reclamam que a falta de infraestrutura vem sendo responsável pela redução no número de voos das companhias aéreas e temem o fechamento do terminal caso nenhuma providência seja tomada muito em breve, o que causaria enorme prejuízo econômico à região do Cariri.

Encabeçada pela Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Juazeiro do Norte, a campanha já conseguiu a adesão de mais de 20 empresas, de acordo com o presidente da entidade, Michel Araújo. Conforme diz, a pista de pouso e decolagem é o principal problema do aeroporto de Juazeiro do Norte, pois não suporta mais o peso de aeronaves de grande porte, a exemplo do Airbus A320 e do Boeing 737/800.

Por questão de segurança, as companhias aéreas não estariam operando com a capacidade total de passageiros. "Nessas aeronaves, que comportam cerca de 170 passageiros, as companhias só vendem metade dos assentos. E isso deixa o preço das passagens bem mais caras. Por isso, começamos essa campanha, que deverá ganhar mais força, para sensibilizar o governo", observa Araújo, lembrando que o número de voos diários já caiu de 13 para apenas nove.

O titular da Secretaria de Turismo (Setur) de Juazeiro do Norte, Roberto Celestino, explica que a pista tem hoje 1.940 metros, sendo 1.800 homologados e 940 a homologar. De acordo com ele, porém, seriam necessários 2.300 metros.

Quanto ao PCN (Pavement Classification Number), que indica a resistência do pavimento, Roberto Celestino informa que a pista do terminal tem PCN 32, quando precisaria de 46. "Até mesmo as aeronaves menores, como os Airbus A318 e A319, operam com severa restrição, sem a capacidade total", afirma.

Infraestrutura
Conforme o secretário, problemas de infraestrutura também são identificados no asfalto do pátio das aeronaves e das duas taxiways (faixa que permite o taxiamento do avião).

"Uma taxi way, inclusive, está fechada desde dezembro de 2014. Nossa pista foi reformada em 2013 e já passou de seu tempo de vida útil, estimado em dez anos. Está com muitas deformações plásticas", destaca.

Fluxo
Ainda de acordo com informações da Secretaria de Turismo de Juazeiro do Norte, de janeiro a abril deste ano, 182.359 passageiros passaram pelo terminal da cidade, número 40% maior que o registrado em igual período de 2015 (130.344). No ano passado, o fluxo foi de, aproximadamente, 450 mil passageiros. O secretário estima que, em 2016, a movimentação passe de 500 mil pessoas.

"A movimentação no Aeroporto de Juazeiro é maior que nos terminais de Boa Vista (AC), Macapá (AP), Joinville (SC), Petrolina (PE), Campina Grande (PB) e quase igual a de aeroportos como o de Palmas (TO) e Santarém (PA)", exemplifica.

De acordo com o secretário, se o impasse não for resolvido, a Latam deverá suspender suas operações em Juazeiro do Norte a partir do próximo mês de agosto. Ele acrescenta que a Avianca também sinalizou deixar de operar em outubro. Quanto à Gol, Celestino acredita que a tendência será a mesma, caso a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) não providencie as reformas necessárias. "A Azul opera com aeronaves menores, da Embraer (EMB 195), e não sente os impactos", acrescenta Celestino.

Suspensão
Em nota enviada à reportagem através de sua assessoria de impresa, a Avianca disse que as operações da companhia em Juazeiro "estão estáveis e não há previsão de alterações no momento". Já o Grupo Latam confirmou que encerrará suas operações a partir do dia 1º de agosto, mas relacionou a suspensão à redução de 10% a 12% na sua oferta doméstica total de voos no mercado brasileiro em 2016.

"O ajuste se soma a outras adequações domésticas e internacionais recentes realizadas para adequar a malha aérea da companhia e enfrentar todo o contexto macroeconômico brasileiro desafiador", destaca a Latam em nota.

Infraero
A Infraero informou que o Aeroporto de Juazeiro do Norte é homologado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) para receber operações de aeronaves como o Boeing 737-700 e o Airbus 319, estando apto a receber voos comerciais regulares.

"Cabe destacar que pedidos de operações de modelos superiores aos citados acima são avaliados tecnicamente dentro dos limites de capacidade de infraestrutura de pavimento do aeroporto", diz a estatal.

Em relação às melhorias no pátio de aeronaves, a Infraero - em conjunto com a Secretaria de Aviação Civil (SAC) - acrescenta que está planejando uma reforma do pátio de aeronaves e do sistema de pistas de taxiamento.

Aeródromos regionais
Em relação aos aeroportos regionais do Ceará, de responsabilidade do governo estadual, o Departamento Estadual de Rodovias (DER) afirma que encontram-se em operação os seguintes terminais: Aracati; Camocim; Campos Sales; Crateús; Iguatu; Quixadá; e São Benedito.

O aeroporto de Jericoacoara, por sua vez, está em fase de conclusão, com previsão para funcionar no próximo semestre, e o de Sobral aguarda o início das obras. Já os aeródromos de Canindé, Itapipoca, Limoeiro e Russas estão em fase de elaboração dos projetos.

RAONE SARAIVA
REPÓRTER

Fonte: Diário do Nordeste

Curta nossa página no Facebook



Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis