P3 Midia

P3 Midia

As 8 mentiras que as pessoas mais contam em seus currículos

Não adianta nada você seguir todas as dicas que demos para elaborar um bom currículo se, entre as informações que esse seu documento profissional revelar, estiver alguma mentira. Aliás, poucas ocasiões são tão ruins para mentir quanto no momento de elaborar seu documento de apresentação profissional.

Ainda que adicionar informações mentirosas no currículo seja sempre uma má ideia, muitas pessoas acreditam que é só inventar uma coisinha ou outra e que ninguém vai descobrir. Eis aí um grande erro: recrutadores de profissionais, sejam eles quais forem, costumam checar informações e, dependendo da cara de pau, já têm até o feeling de que alguém está ou não mentindo.

Pinóquio, não!
Um levantamento recente realizado pelo CareerBuilder mostrou um dado chocante: 56% dos contratantes norte-americanos já disseram ter se deparado com currículos de candidatos nada honestos. Como você deve imaginar, ter uma mentira descoberta é uma boa forma de perder a chance de conseguir a vaga de um emprego – é fácil de entender: quem é que vai querer contratar uma pessoa que mentiu logo na entrevista e no currículo?

Ainda assim, alguns contratantes e especialistas em Recursos Humanos dizem que há mentiras e mentiras, e que, em alguns casos, dá para dar uma segunda chance ao Pinóquio em questão. E aí você se pergunta: que mentiras seriam essas, afinal? Quais seriam as mais graves e as menos graves? A lista foi divulgada pela Fast Company – confira abaixo:

1 – Mentiras mais graves
  • Universidade
  • Fluência em outro idioma
  • Diploma universitário
  • Experiências de emprego
2 – Mentiras menos graves
  • Habilidades de informática
  • Ano de graduação
  • Tarefas no emprego anterior
  • Promoções
Mentir para quê?
A pesquisa ouviu também o outro lado da história, e a maioria dos “espertinhos” afirmaram que mentiram porque queriam parecer melhores candidatos. Outra resposta comum entre vários concorrentes foi a de que mentir sobre antigas experiências profissionais era uma forma de ter mais chances de contratação.

A maioria dos candidatos acredita que suas mentiras jamais serão descobertas, ainda que o contratante consiga checar essas informações com grande facilidade. O levantamento descobriu também que pessoas empregadas, mas que continuavam procurando outros empregos, também tendem a contar mentiras consideradas leves. Por outro lado, pessoas demitidas tendem a não dizer que saíram de seus empregos, pelo menos não em seus perfis do Linkedin.

Há alguns dias, nós listamos aqui algumas habilidades que fazem com que um candidato consiga preencher uma vaga de trabalho com mais facilidade. Com isso tudo em mente e com a noção de que começar qualquer relação, seja ela profissional ou não, com uma mentira é sempre um péssimo negócio, pense bem na hora de fazer o seu currículo – e boa sorte!

Fonte: Mega Curioso

Curta nossa página no Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis