Banner P3 728x90

Banner P3 728x90

É possível morrer de tanto comer?

Dois hambúrgueres, alface, queijo, molho especial, cebola, picles, um pão com gergelim, um pote de sorvete, uma pizza, oito cachorros-quentes, cinco barras de chocolate, um pote de pipoca, macarronada e, bem... Depois disso, é melhor pedir também um caixão bem grande, com algumas coroas de flores. Afinal, depois de uma comilança dessas a pessoa bate as botas, né? Ou não? Será que é mesmo possível morrer de tanto encher o bucho?

Imagine você, deitado em um sofá, assistindo àquela sua comédia romântica pela 72ª vez, pensando no ex, chorando e comendo. Comendo muito. Será que em determinada altura você morreria de tanto comer? É possível ter uma overdose de leite condensado ou o seu corpo, espertinho, vai dar um jeito de livrar você dessa?

Estômago do bem
Vamos por partes: você sabe que seu estômago é superelástico, não é mesmo? Então, ele vai esticar à medida que você vai comendo como se não houvesse amanhã. Depois que estiver muito cheio, seu estômago vai ficar dolorido, você vai ficar enjoado e talvez até vomite — afinal, diferente de você, ele sabe que já chegou a hora de parar de enfiar comida goela abaixo.

A comida que você ingere vai precisar passar pelo intestino até que seja digerida e, depois, eliminada. Esse processo pode demorar dias, principalmente quando alguém ingere muita comida de uma vez só. Para você ter ideia, cada contração do estômago empurra cerca de 3 cm de comida para o intestino. Em um estômago extremamente cheio e dilatado, esse processo demoraria muito, de acordo com José Suárez de Párraga, médico do Hospital Universitário La Paz, em Madri.

E os participantes de concursos que elegem os mais comilões?
O gastroenterologista David Metz, da Universidade da Pensilvânia, nos EUA, estudou o que acontece no estômago de Tim Janus, que participa de competições para ver quem come mais. De acordo com o médico, o estômago de Janus não apresenta um sistema de “esvaziamento” mais eficaz do que o de uma pessoa comum. Em vez disso, constatou-se que o estômago do competidor tem uma capacidade de ficar mais esticado do que o normal, o que faz com que ele consiga comer mais.

Além disso, Janus afirma não sentir dores ou náusea, o que o médico afirma ser impossível, justificando: “Pode ser que ele tenha se acostumado com a dor”. De qualquer forma, é melhor que o comilão tome cuidado, afinal é possível, sim, morrer de tanto comer.

Abocanhando a morte
Um caso citado pelo Quo fala a respeito de uma menina que ingeriu nove quilos de cachorros-quentes – quem nunca? – e depois resolveu tomar uma latinha de refrigerante para arrematar o lanchinho. O resultado? O estômago da moça ficou inchado e acabou espremendo a região do diafragma, fazendo com que ela morresse asfixiada.

Ou seja...  O negócio é comer somente o necessário e, se alguém disser que duvida que você coma nove quilos de cachorros-quentes, responda “Eu também”. E continue vivo.

Fonte: Mega Curioso

Curta nossa página no Facebook



Nenhum comentário:

Postar um comentário

ShareThis